Governo do Distrito Federal
15/03/22 às 9h45 - Atualizado em 15/03/22 às 9h45

Realizada a primeira reunião da nova composição da Câmara Setorial de Suínos do Distrito Federal

 

Nesta segunda (14), foi realizada a primeira reunião após a reconstituição da Câmara Setorial de Suínos do Distrito Federal. Além Secretaria da Agricultura do Distrito Federal (Seagri-DF), compõem a Câmara representantes da Superintendência Federal do Ministério da Agricultura (SFA/DF), Emater-DF, Sebrae-DF, Senar-DF, Fundação Universidade de Brasília  e Sindicato de Suinocultores do DF.

 

Entre as principais pautas da reunião, esteve a aquisição de carne suína pelos programas governamentais executados no Distrito Federal. Segundo o secretário de Agricultura, Candido Teles, presente na reunião, a perspectiva é de um investimento, ainda este ano, de cerca de 12 milhões de reais para compra de carne suína para a alimentação escolar. “A decisão do Governo do Distrito Federal de que a carne suína seja incluída na alimentação das escolas públicas já está tomada. Agora vamos trabalhar para que esta carne seja fornecida pelos produtores do Distrito Federal. É importante que a renda desse mercado fique em Brasília, com os produtores rurais daqui do DF”.

 

Os representantes da cadeia produtiva da suinocultura afirmaram que o setor tem total condições de atender à exigência de cortes para a alimentação escolar. “Vamos agendar uma visita em um frigorífico do DF para demonstração de cortes à equipe da Secretaria de Educação”, afirmou Josemar de Medeiros, presidente da Associação dos Criadores de Suínos (DFSuin) e do Sindicato de Suinocultores do Distrito Federal (Sindisuinos). “Propomos também a oferta de capacitação de nutricionistas e merendeiras das escolas públicas no que se refere a opções de receitas e modos de preparo dos diferentes cortes suínos”, complementou Josemar.

 

Outro tema apresentado pelo setor produtivo foi a necessidade de existência de uma linha de crédito emergencial junto às instituições financeiras, adequando as linhas de seguro rural existentes para inclusão de uma modalidade pecuária. Nesse sentido, o secretário de Agricultura sugeriu que os suinocultores façam o levantamento de produtores interessados e do valor estimado de recursos necessários. “Vamos agendar uma reunião com o Banco de Brasília (BRB) e os suinocultores para tratar da possibilidade de criação de uma linha de crédito emergencial para os pecuaristas”, afirmou Candido Teles.

 

Ainda, o secretário de Agricultura apresentou a opção de crédito por meio do Fundo Distrital de Desenvolvimento Rural (FDR). “Os produtores rurais têm a possibilidade de adquirir crédito também por meio do FDR. Esse é um fundo socialmente justo, com juros baixos, de 2,25% a 3% ao ano, em que todo o recurso do pagamento dos empréstimos é revertido na disponibilização de mais crédito para novos projetos na área rural”, esclareceu o secretário de Agricultura.

 

Em continuidade à pauta da reunião, foi tratado o fundo privado de sanidade animal. Os representantes do setor produtivo da suinocultura afirmaram que o Fundo para o Desenvolvimento da Pecuária no Distrito Federal (Fundepec-DF) será criado. “A solenidade de assinatura do Fundo, que marca sua criação, está agendada para esta quarta à tarde, dia 16 de março. E a Associação e Sindicato dos Suinocultores faz parte desse Fundo”, afirmou o produtor rural e segundo vice-presidente da DFSuin, Alexandre Cenci.

 

A subsecretária de Defesa Agropecuária da Seagri-DF, Danielle Araújo, destacou a importância da criação do fundo privado de sanidade animal. “Esse fundo tem um papel muito importante, especialmente para os pequenos criadores de suínos. Pois, quando o produtor sabe que será indenizado no caso de uma doença de controle oficial que demande o sacrifício dos seus animais, ele se sente mais seguro. Sabe que pode notificar à Seagri e à Emater a suspeita de uma doença no seu rebanho, pois não terá nenhum prejuízo financeiro”, destacou a subsecretária da Seagri-DF.

 

Texto e fotos: Ascom Seagri-DF